AGROPACTO destaca aplicação do Programa Sertão Empreendedor com metodologia ATeG

Na manhã desta terça-feira, 04,  o Pacto de Cooperação da Agropecuária Cearense – AGROPACTO, promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará – FAEC, debateu  a aplicação do Programa Sertão Empreendedor com Metodologia ATeG, com a apresentação do Coordenador do Programa Sertão Empreendedor e ATeG – SENAR-AR/CE Eduardo Queiroz e com o Coordenador de projetos do SEBRAE Paulo Jorge Mendes. Durante o encontro, foi discutido técnicas e projeções para a melhoria da assistência técnica no campo.

Segundo o Coordenador de projetos do SEBRAE Paulo Jorge Mendes, a finalidade do Sertão Empreendedor é trabalhar a convivência do projeto com o semiárido, pois a seca havia mostrado que o setor não estava acostumado com a seca. Paulo apresentou dados mostrand que em 3 anos de atendimento do programa, pode-se avaliar uma produção positiva durante a seca. Houve uma evolução nas tecnologias de convivência durante esse período climático.

O coordenador explicou ainda que o programa iniciou-se fazendo diagnósticos e, em cima de tais, criou metas para os produtores. Até o momento, 37 municípios do semiárido cearense já foram atendidos. Na Bovinocultura, apenas 2 produtores de 39 atendidos não fizeram gestão. Aos outros setores que fizeram, também houve uma grande diferença nos resultados, como foi o caso da cajucultura em que 92% dos produtores obtiveram lucro e se disseram satisfeitos com o Sertão Empreendedor. Já na Ovinocaprinocultura, Paulo destacou que pode evoluir, mas que o setor já tem andado bem. Na Apicultura, apenas um produtor não quis fazer gestão.

Para Jorge, parte de tal sucesso também se deu por outras vertentes. “É impossível se obter resultados sozinho. É preciso parceria. Há potencial para alcançar metas ainda maiores, basta se fazer um bom trabalho, com boa gestão e boas parcerias. Nas próximas produções é preciso visar também os pequenos produtores, pois eles também fazem a diferença.”, finalizou.

Para Coordenador do Programa Sertão Empreendedor e ATeG – SENAR-AR/CE Eduardo Queiroz, um dos principais passos para que a assistência técnica obtenha bons êxitos no campo é fazer uma boa avaliação da condição do produtor rural. Queiroz citou ainda que o SENAR esta buscando parcerias para fazer o programa crescer e funcionar da melhor forma, fato reforçado durante o debate pelo Superintendente do SENAR Sérgio Oliveira.

Foram destacados ainda os passos dados pela assistência técnica para maior efetividade do trabalho. São eles: diagnóstico produtivo individual, planejamento estratégico, adequação tecnológica, capacitação profissional e avaliação de resultados Os objetivos do Programa são maximizar os lucros, melhorar o uso de recursos, da gestão e da organização, além de ajudar o produtor a entender os mercados.

Para isso, cada produtor é acompanhado mensalmente por um instrutor de campo, auxiliando na formação do capital humano para que ele se desenvolva. Há toda uma organização a nível nacional para que o técnico possa formar bem o produtor, conforme explicou Queiroz. Segundo ele, cada técnico de campo é responsável por assistenciar até 30 produtores.

Sistema criado para auxiliar a assistência técnica

Para auxiliar o serviço de assistência técnica prestado, Eduardo Queiroz apresentou o sistema online e offline que cria materiais para melhorar o envio de informação. Há também um aplicativo que facilidade a comunicação entre toda a rede, que vai desde coordenadores até instrutores de campo. Dentro da ATeG, fora criado também capacitações online a nível nacional pela CNA.

A ideia é sensibilizar o produtor para que ele saiba onde quer chegar e quando deve chegar. Para isso, o sistema também dá assistência, visando a melhoria na atuação do produtor. Mostrando-se completo, o sistema auxilia ainda na contabilidade de receitas e despesas, ajudando a analisar os custos e demandas de cada produtor, para que assim ele possa conhecer seus custos e melhor gerenciar seu negócio.