AGROPACTO discute Hortas Sociais Urbanas para Zona Rural

Cel Sérgio Gomes Cavalcante é o palestrante

Depois de visitar o projeto Hortas Sociais do Centro Social Urbano-CSU da Prefeitura de Fortaleza no Conjunto Ceará, o Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará, Flávio Saboya, convidou o Coronel Sérgio Gomes Cavalcante, coordenador especial de Idosos de Fortaleza e Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa  e o engenheiro agrônomo das Hortas Sociais, Rômulo Uchoa Bezerra, para fazerem uma exposição sobre o referido projeto na reunião do Pacto de Cooperação da Agropecuária Cearense- Agropacto, que será realizada amanha,  dia 26, a partir das 7h30min hs, no auditório do Sistema FAEC/SENAR, na Avenida Eduardo Girão,317, Bairro Jardim América.

O objetivo é incentivar os produtores rurais a aderirem ao projeto que já mostra resultados satisfatórios na produção de orgânicos, disse Flávio Saboya que  levou uma comitiva  ao  Conjunto Ceará. Com o projeto, os idosos da comunidade participam do plantio de tomate cereja, couve manteiga, quiabo, pimenta de cheiro, pimentão e cheiro verde. O trabalho desenvolve o empreendedorismo dos idosos, que são beneficiados com os alimentos após a colheita.

A Horta Social tem como público-alvo idosos em situação de vulnerabilidade e faz parte de um projeto que busca desenvolver capacidades, promover a segurança alimentar de idosos da cidade, além de estimular o protagonismo social de uma parcela importante do município. Já foram inauguradas duas Hortas Sociais, uma no Conjunto Ceará, que conta com duas estufas, e outra na Granja Portugal.

INSERIR OS JOVENS

A idéia da FAEC, é envolver os jovens da zona rural nesta ação, aproveitando o potencial dos estudantes dos Institutos Técnicos Federais de Educação -IFCE que  na sua grande maioria são oriundos do campo. O Presidente do Sindicato Rural de Moraújo , Elder Aguiar foi quem trouxe a ideia e elaborou em conjunto com o IFCE de Sobral um projeto denominado Doutores do Sertão, que poderá ser adaptado baseado nesta experiência exitosa da Prefeitura de Fortaleza, disse Sabya.

Elder Aguiar que participou da visita a Horta Social do Conjunto Ceará disse o  Projeto ” Doutores do Sertão”  visa  envolver os jovens, filhos de agricultores e  estimular a sucessão no campo, através da  difusão  do conhecimento acadêmico no meio rural, estes são  os pilares do Projeto Doutores do Sertão do Sindicato Rural de Moraújo. Esse projeto das Hortas Sociais é de  de fácil execução, rentável e que gera  alimento, emprego e renda, podendo ser implantado  em vários municípios do Estado, utilizando a mão de obra desses estudantes,  disse Elder Aguiar.  Cada Sindicato Rural ligado à FAEC poderá implantar uma unidade produtiva, com o foco na sustentabilidade sindical, além de  promover a alimentação saudável.

Comitiva

Participaram  da visita técnica ao Projeto Hortas Sociais do CSU do Conjunto Ceará da Prefeitura de Fortaleza, além do Presidente da Faec, Flávio  Saboya,  Rodrigo Diógenes, Vice Presidente da FAEC; Elder Aguiar, membro do Conselho Fiscal da FAEC e Presidente do Sindicato Rural de Moraújo; Almir Guilherme, Presidente Regional da UBAM; Alexandre Menezes, Empresário e José Edvar, Membro Consagrado da Comunidade Aliança de Paz.

A visita foi motivada para conhecer de perto o Projeto de Cultivo das hortas, bem como analisar a possibilidade de implantar uma unidade produtiva no âmbito de cada Sindicato Rural do Ceará, com o foco na sustentabilidade sindical e promover a alimentação saudável.

Resultados

Os equipamentos foram inaugurados pela Prefeitura de Fortaleza no Conjunto Ceará, em novembro de 2015, e na Granja Portugal, em março de 2016. Com investimento de cerca de R$ 500 mil e R$ 500 mil de custeio, as hortas fazem parte do Fundo Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa do Município de Fortaleza, dentro da iniciativa “Fortaleza – Cidade Amiga do Idoso”, e buscam desenvolver capacidades e promover a segurança alimentar de idosos em situação de vulnerabilidade.

Segundo Sérgio Gomes, titular da Coordenadoria de Políticas do Idoso da Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos (SCDH), “essa experiência é única no Brasil. O sentimento aqui é envolver agricultura familiar urbana, segurança alimentar, o sentimento dos quintais produtivos, mas principalmente dar um complemento para esses idosos em situação de vulnerabilidade com algo que seja relacionado ao bem-estar dele, que controle a hipertensão, a diabetes, a depressão”.

Os equipamentos produzem uma variedade de seis hortaliças: quiabo, tomate-cereja, couve-manteiga, pimenta-de-cheiro, pimentão e cheiro verde. Cada estufa gera em torno de sete toneladas de alimento por ciclo, que dependem das hortaliças plantadas e podem ter duração média de dois a três meses para serem colhidas. O plantio foi feito por uma equipe de quatro profissionais, monitorada, por meio de parceria, pelos cursos de Nutrição e Agronomia da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Somente na Horta Social do Conjunto Ceará, são 3 mil maços de cheiro verde e três toneladas de quiabo. A ideia é atender mais de mil famílias com o projeto.

Sérgio Gomes diz que tudo o que for produzido “vai para um equipamento chamado Bodega Solidária. Esses produtos vêm, entram na Bodega e são doados a famílias de idosos em situação de vulnerabilidade social. São  duas estufas no Conjunto Ceará e uma na Granja Portugal. O que  é  produzido nesses locais  é  distribuído de forma gratuita”, esclarece.

De acordo com o planejamento municipal, a expectativa é de que o projeto produza sete toneladas de tomate cereja e sete toneladas de folhagens no Conjunto Ceará. Na unidade da Granja Portugal espera-se ter mais 3,5 toneladas de cada vegetal.