EMPRESÁRIOS DA REDESA QUEREM IMPLANTAR FÁBRICA DE LEITE EM PÓ EM SENADOR POMPEU E SENAR OFERECE SUA EXPERIÊNCIA EM CAPACITAÇÃO

Empresários da REDESA – Rede de Soluções Ambientais – René Descartes Educação e Empreendimentos, com sede em São Paulo, estiveram nesta quarta-feira, dia 21, na sede do Sistema FAEC/SENAR, para conhecer especialmente o trabalho do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR-AR/CE, na área de capacitação de produtores rurais, bem como de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG. Eles estão prospectando a instalação de uma indústria de leite em pó no município de Senador Pompeu, na Região do Sertão Central.

 

O convite para a visita dos empresários paulistas à FAEC foi feito pelo presidente do Conselho Administrativo do SENAR, Flávio Saboya, após participar de uma reunião no dia anterior, dia 21, na sede da Agência de Desenvolvimento do Estado – ADECE, onde foi apresentado o interesse dos referidos empresários em investirem na implantação dessa Fábrica naquele município. A reunião coordenada pelo Diretor de Desenvolvimento Setorial, Ricardo Sales, contou com a presença do prefeito de Senador Pompeu, Maurício Pinheiro, do deputado estadual Queiroz Filho e de representantes da SEDET, SEBRAE, BNB, SDA, FIEC/Sindilaticínios e Sindicato Rural de Quixadá.

 

Durante a visita do grupo REDESA ao Sistema FAEC/SENAR, Flávio Saboya apresentou a possibilidade de uma parceria com o SENAR na área de Assistência Técnica e Gerencial, através da formação de grupos de produtores que irão atuar no fornecimento do leite para a futura indústria.

 

Para o presidente da FAEC, essa iniciativa dos empresários paulistas é uma solução de grande relevância para o crescimento da pecuária de leite no Estado, tornando a atividade mais rentável, gerando emprego, renda e, como consequência, a melhoria da vida no campo. Segundo informações da REDESA, a fábrica de leite em pó precisa de, no mínimo, 600 mil litros de leite/dia.

 

O Superintendente do SENAR, Sérgio Oliveira, disse que o programa de Assistência Técnica e Gerencial só tem a contribuir com o engrandecimento da atividade leiteira no Estado e que o SENAR poderá fornecer total apoio quanto à transmissão do conhecimento técnico e dos avanços tecnológicos, além de fornecer as ferramentas de gestão da propriedade, peças fundamentais que resultarão na qualidade de vida dos produtores e suas famílias.

 

Participaram da reunião na sede do Sistema FAEC/SENAR, os três representantes da Empresa REDESA – Frade Phillip N. Machado, Francisco Eduardo Pereira e Milton Sogabe – o Superintendente do SENAR-AR/CE e a Coordenadora Técnica, Sérgio Oliveira e Carolina Machado,  e os  representantes do SEBRAE-CE, Reginaldo Braga e Paulo Jorge Mendes.

 

Sobre a produção de leite

 

A ideia dos empresários paulistas é ampliar o potencial de leite da Região, incluindo o Cariri, e oferecer uma alternativa para aproveitamento do excedente da produção de leite no Estado. Hoje, somente Senador Pompeu chega a produzir 35 mil litros/dia.   Segundo dados do IBGE, o Estado do Ceará produz, aproximadamente, 1milhão e 700 mil litros de leite/dia.