FIM DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL RURAL: FAEC SUGERE SUSTENTABILIDADE DOS SINDICATOS COM MAIS PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES NO CAMPO

Termina no próximo  dia 22 de maio, o prazo para  os produtores rurais que  desejarem continuar pagando a Contribuição Sindical Rural referente ao exercício de 2018 , que passou a ser voluntária.  A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil -CNA em conjunto com as 26 Federações  e a do  Distrito Federal estão orientando  os produtores, pessoas físicas, para o pagamento das Guias de Recolhimento da Contribuição Sindical Rural, cujo recolhimento  pode ser feito em qualquer estabelecimento integrante do sistema nacional de compensação, e após esse  prazo, através de agência do Banco do Brasil, cujo boleto  pode também ser    solicitado diretamente a FAEC.

Com o fim da Contribuição sindical obrigatória aprovada pela Reforma Trabalhista e preocupado com a manutenção  dos Sindicatos Rurais, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará, através do seu Departamento Sindical, realizou durante dois dias, 17 e 18,  um Seminário de Sustentabilidade Sindical , com a participação dos 49 Presidentes de Sindicatos filiados. Na abertura, dia 17, no auditório do Hotel Amuaruama, em Fortaleza, o  presidente da FAEC, Flávio  Saboya mostrou a necessidade dos Sindicatos se reinventarem, se modernizarem, oferecendo novos serviços ao produtor rural e à sua família, criando uma contribuição voluntária para manutenção das atividades no campo.

Flávio Saboya disse durante o Seminário de Sustentabilidade  que ainda existem muitos produtores rurais  que não estão identificadas para que nós possamos ampliar nossa atuação, afirma. Dos cerca de 400 mil imóveis rurais existentes no Ceará, quase 100 mil ainda não estão devidamente identificadas por categoria, o que dificulta o atendimento do Sistema FAEC/SENAR, disse o presidente da FAEC. Por  esta essa razão, nós  convidamos o Instituto de Desenvolvimento Agrário- IDACE, para fazer uma apresentação da estrutura fundiária e do Cadastro das Propriedades Rurais  dos municípios participantes do Programa Sindicato Forte, realizada pela superintende adjunta do  Instituto, Maria das Graças Pedroza . Para  o presidente da FAEC, ” não existe caminho único, o cadastro dos produtores rurais é o principal ativo, o cliente final é sempre o produtor rural, todavia,  a cidade também é fonte de recursos, pois o campo é que alimenta a cidade “.

O superintendente do SENAR- CE,  Sérgio Oliveira, disse que o Serviço de Aprendizagem Rural  braço educativo da FAEC,  vai continuar dando o suporte necessário à formação profissional dos produtores e a promoção  social, através do programa Sindicato Forte . Ele sugeriu que as ações de capacitação sejam feitas em conjunto com o programa de  assistência técnica e gerencial , objetivando fortalecer as atividades rurais. Cada Sindicato tem uma meta de cursos  a oferecer aos seus associados , que deve ser cumprida integralmente, o que já é uma garantia de sustentabilidade , ressaltou. Sérgio Oliveira anunciou que a partir de agosto deste ano, o  SENAR vai oferecer cinco(5)  tipos de cursos de nível superior totalmente à distância através da Faculdade CNA, a um custo baixo, de apenas R$.

Já o vice-presidente de Administração da FAEC , Carlos Bezerra Filho, destacou o esforço grande que a Federação  está fazendo para ajudar os Sindicatos a se manterem prestando serviços ao produtor que coloca o alimento na mesa da população. Para isso, precisamos fazer novas parcerias com outras instituições e abrir a oferta de novos serviços pelos nossos  sindicatos, frisou.

No dia 18,  segundo dia do Seminário de Sustentabilidade, foi a vez da formação dos grupos e orientações dos trabalhos, culminando com o encerramento e apresentação das conclusões, no início da tarde

 

MENSAGEM DIRETOR GERAL DO SENAR FOI APRESENTADA NO SEMINÁRIO

Direto de Brasília, o Diretor Geral do SENAR, Daniel Carrara fez a sua mensagem aos presidentes de Sindicatos, destacando que “há 25 anos o SENAR vem realizando muitas ações para  a melhoria da agropecuária brasileira, somente em 2017 capacitamos mais de 700 mil pessoas  nas ações de formação profissional, mais de  300 mil pessoas  foram impactados pelas  ações de Promoção Social, 10 mil alunos estão inscritos nos nossos cursos  técnicos  de nível médio à distância da Rede e-Tec, 700  mil produtores estão recebendo assistência técnica e gerencial  dos  nossos consultores, realizamos 240 eventos voltados  para a  Saúde do Homem e da Mulher e mais de 1 milhão e meio de crianças receberam ações do Programa Agrinho. Isso tudo só é possível com o  Sindicato atuante na sua base municipal. Para que o SENAR continue atingindo essas metas, nós precisamos de um Sindicato Forte em todo o país.”, disse Daniel Carrara.

 

BALCÃO DE OPORTUNIDADES

Na sequência do Seminário houve a palestra motivadora do consultor, engenheiro Agrônomo e ex-servidor da SDA, José Ribeiro da Silva com o tema “Mudar ou Morrer” mostrando a necessidade dos Sindicatos atuarem de forma diversificada  e eficiente. Houve também  a apresentação de um  balcão de oportunidades com exemplos de serviços, e comercialização de produtos, por várias  empresas mostrando novos  modelos de negócios,  como a energia solar,  máquinas agrícolas , criação de uma  Assessoria Jurídica, compra e venda via consórcio.

 

PRESIDENTES OPINAM

A maioria dos presidentes dos sindicatos rurais não escondem suas preocupações com o quadro atual, mas estão otimistas que os produtores vão continuar contribuindo voluntariamente,embora  reconhecendo que precisam ampliar e aprimorar cada vez mais os serviços prestados, inclusive na área de assistência técnica,gerencial  e de saúde

 

O presidente do  sindicato de Moraújo, Elder Aguiar apresentou uma proposta de desenvolvimento sustentável para os Sindicatos, baseada em parcerias com os bancos de fomento, para levar assistência técnica, crédito e escoamento da produção, com a coordenação dos Sindicatos Rurais em cada município -sede.O plano contempla também a criação de cooperativas regionais de produtores em parceria com o Sistema SESCOP/OCB .

Elder Aguiar,disse que não há outra saída para a manutenção e sustentabilidade dos sindicatos se não for através de uma maior prestação de servicos e das parcerias com os diversos órgãos. ” Vejo  a assistência técnica e gerencial promovida pelo SENAR- CE,  como o principal fator de  desenvolvimento sustentável do meio rural. Elder inclusive apresentou um projeto à  FAEC intitulado ” Doutores do Sertão”, que visa difundir o conhecimento acadêmico dos estudantes filhos de produtores rurais junto ao IFCE e à sucessão no campo.O projeto foi apresentado ao Banco do Nordeste, pleiteando a renúncia fiscal , encontrando-se no momento em fase de análise.

Em Bebeibe, o presidente do Sindicato  Marcelo Colasso já enxerga uma nova oportunidade:  a  venda de produtos na feira municipal , como cajuína, polpas de frutas, doces e  castanha. Beberibe é um dos maiores produtores de caju do Ceará  e pretende fazer  uma parceria com  a Câmara de Dirigentes Lojistas-CDL, visando  promover uma rodada de negócios,  para  que os produtores sejam  fornecedores do que produzem, alguns já vendem para a merenda escolar .

A ideia do presidente do Sindicato de Coreaú, Emerson Pinto, que é médico veterinário, é levar para o Sindicato as unidades municípais  de cadastramento do INCRA- UMC e  colocando em prática o convênio 71/2016 -FAEC/ADAGRI , que trata da implantação de escritórios de atendimento à comunidade, dos serviços prestados pela Agência de Defesa Agropecuária nos Sindicatos. Podemos também cadastrar técnicos  junto aos bancos , para elaboração de  projetos, o que poderá gerar renda para o Sinducato.

Em  Aurora, o presidente Marcílio Macedo Tavares, que também é médico veterinário, disse que  para sustentar o Sindicato oferece orientações sobre ITR, sobre Cadastro Ambiental Rural-CAR, programa de Inclusão  Digital, e cursos de formação profissional rural, através do SENAR. O Sindicato de Aurora tem sede própria e construiu um salão de reunião com 90 m2, Ele pretende ampliar a oferta de serviços e assim manter a contribuição voluntária dos produtores da Região.

O presidente do Sindicato Rural de Senador Pompeu, Josiel Barreto da Silva, que está à frente do Sinrural desde 1983, disse que já ofereceu assistência odontológica e  médica aos produtores, mas com a criação do SUS, o serviço foi desativado.Ja o presidente do Sinrural de Limoeiro do Norte, Luís Mendes disse que cm os cursos do PRONATEC// SENAR o sindicato cresceu bastante na avicultura caipira, e como resultado foram cridas duas associações de produtores e um evento – O INOVO- Feira da agricultura de produtos da avicultura. Já em Ubajara, o presidente Inácio Parente disse que realiza a vários anos, em parceria com o Sebrae, prefeitura e empresas o Hortifruti, que já está no calendário de eventos da Região da Ibiapaba, e vem  ajudado a manter o Sindicato, Cirilo Vidal, do Sinrural de Quixeramobim e Fausto Fernandes de Quixadá,destacaram a oferta de milhares de cursos de formação profissional, a renegociação das dívidas rurais, e a implantação dos polos presenciais  da Rede de Ensino à Distância naquelas cidades, que  estão capacitando diversos técnicos em agronegócio, que vão promover  a sucessão no campo.

 

 

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

O Presidente  da FAEC e do Conselho  Administrativo do SENAR-CONAD,  Flávio Saboya que disse que está buscando novas alternativas de manutenção dos Sindicatos. Assim como a CNA, a FAEC atua estimulando o fortalecimento do sindicalismo rural, enquanto os sindicatos desenvolvem ações diretas de apoio ao produtor rural, buscando soluções para os problemas locais de forma associativa. O principal objetivo do sistema sindical rural é a defesa dos direitos, reivindicações e interesses, de todos os produtores rurais na sua área de atuação

A  FAEC tem um Departamento Sindical que oferece  assessoria jurídica, e contábil,  o preenchimento da declaração  do seu  ITR. Orienta o produtor rural quanto  às questões fundiárias junto ao Incra, Receita Federal, e Ibama  na  regulamentação das propriedades rurais, além disso, promove cursos  e treinamentos gratuitos, em conjunto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR-CE,  seu braço educativo, bem como,  atendimentos  na área de Promoção Social, como o Programa Saúde do Homem e da Mulher e o Programa Agrinho.

O presidente da FAEC orienta que os produtores rurais a procurem o Sindicato Rural de seu domicílio e conheçam todas as ações que o Sistema oferece. Entre elas, a renegociação das dívidas rurais, a inclusão de 25 novos municípios cearenses na região semiárida, de acordo com os critérios da SUDENE, a implantação de programas ambientais como o de Proteção de Nascentes, somos sede do Programa de Pesquisas da Embrapa/CNA para o bioma caatinga, que nos rendeu além de importantes resultados, o Prêmio Ambientalista Joaquim Feitosa, outorgado pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente, sem esquecer a capacitação e orientações dos produtores no preenchimento do  Cadastro Ambiental Rural – CAR.

Saboya lembra também que a segurança no campo é outra ação que está sendo  intensificada  pela CNA em todos os Estados, inclusive com a implantação de um Observatório e um número de telefone para denúncias: (61) 99834-7773. Aqui no Estado, há mais de um ano pedimos providências à Secretaria de Segurança Pública sobre a problemática rural. Agora, com o aumento da criminalidade, estamos convidando o secretário André Costa para apresentar as ações da SSPDS em uma reunião do Pacto de Cooperação da Agropecuária Cearense – AGROPACTO, um fórum legítimo de debates entre o setor produtivo, órgãos e instituições com vistas ao desenvolvimento da agropecuária em nosso Estado.