KELLY CLÁUDIO DIZ QUE CEARÁ TAMBÉM FAZ PROMOÇÃO SOCIAL

A Diretora Técnica do SENAR-CE, Anna Kelly Cláudio Gonçalves, participa em Brasília do 2° Encontro Nacional da Promoção Social, promovido pelo Sistema CNA/SENAR Administração Central. Segundo Kelly Cláudio o Ceará inicio em 2010 o Programa Útero é Vida voltada para prevenção do câncer de colo de útero, e desde 2017 está atendendo também os homem  através da prevenção do câncer de próstata por meio do Programa Saúde do Homem, que hoje tem a denominação de “Saúde do homem e da Mulher” já tendo beneficiado mais de 10.000 e somente no ano passado mais de 2,500 homens e mulheres do campo. O evento teve início no dia 12 e tem como objetivo qualificar ainda mais as ações de Promoção Social, com foco em saúde preventiva. O seminário recebeu gestores e técnicos da área de promoção social das 27 Administrações Regionais do SENAR.

O encontro contou com palestras de diversos especialistas de saúde, como o médico oncologista Drauzio Varella, que falou sobre educação em saúde como instrumento de mudança de atitude e qualidade de vida. “Por estar em todos os municípios espalhados pelo País, o Senar pode dar uma grande contribuição, primeiro no diagnóstico, identificar quais são os problemas de saúde do homem no campo em cada região e em segundo lugar, tentar uma abordagem de fazer a informação chegar a essas populações”, comentou Varella.

O primeiro dia do seminário contou ainda com palestras sobre as ações do Instituto Lado a Lado pela Vida, que desenvolve atividades voltadas às doenças cardiovasculares, câncer e saúde do homem, um panorama das doenças sexualmente transmissíveis e Aids, com o diretor adjunto do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Gerson Pereira, e um depoimento sobre HIV/Aids, com a advogada e ativista Beatriz Pacheco.

O diretor-geral do SENAR, Daniel Carrara, disse que “ao andar pelo país, vemos o quanto a saúde no setor rural é frágil. Por isso nossa missão é focar em promoção social, avançar nas ações em saúde para suprir esse vazio institucional que o Brasil tem”.

Nesta sexta-feira (13), o evento continua com painéis sobre a Invisibilidade da Violência de Gênero no Meio Rural, Projeto Maria da Penha vai à Escola e Educação Emocional e Social: Desenvolvendo a Inteligência Emocional.