ÚLTIMO ARTIGO ESCRITO POR FLÁVIO SABOYA AGRO, DESAFIOS E RESULTADOS

No ano de 2020, considerado um ano atípico para a maioria das atividades econômicas, devido à pandemia do coronavírus, felizmente, o agro cearense cresceu 16,9%. Segundo dados do Ipece, enquanto o PIB cearense caiu 13,2% no segundo trimestre frente ao primeiro e 14,5% em comparação a igual período de 2019, a agropecuária cresceu 16,9% e 18,8%, respectivamente, sob influência das chuvas e da manutenção das atividades durante os meses de isolamento social.

O resultado foi impulsionado por algumas culturas específicas e bons resultados na pecuária, com destaque para a produção de aves. Na agricultura, destaques ficam por conta da produção de milho, arroz e feijão. O Ceará é um dos líderes em produção e exportação de frutas, e mesmo com o decreto de pandemia, as dificuldades de deslocamento e comercialização, a fruticultura cearense não acompanhou as quedas nas exportações vista em outros produtos e neste ano cresceu 17,2% comparado com o mesmo período do ano passado, tendo como destaque a produção de melão, banana, melancia, manga, mamão, caju, coco, maracujá e acerola.

Outro fato importante a comemorar foi a implantação do Programa de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG, executado através de uma parceria entre o Sistema Faec-Senar e o Programa AgroNordeste, do Mapa , que até dezembro atendeu dentro da propriedade a 3030 produtores em diversas cadeias produtivas, de 46 municípios. Para tanto, contratamos cerca de 96 profissionais, em diversas áreas como técnico agrícola, engenheiro agrônomo e médico veterinário, sendo também um ponto positivo a mais, pois abriu novas oportunidades no mercado de trabalho para esses profissionais.

Na área de educação profissional merece atenção nesse momento de pandemia , a oferta pelo Sistema Faec-Senar de forma híbrida (presencial e online) de mais de 240 cursos de formação profissional (FPR), promoção social (PS) e inclusão digital, a cerca de 6 mil pessoas em diversas áreas; a formatura dos primeiros alunos da Faculdade CNA- Pólo de Fortaleza e a abertura de dois novos polos, em Quixadá e em Ubajara. Fizemos a entrega dos diplomas a 67 formandos dos cursos técnicos em Agronegócio, dos polos de Fortaleza, Cascavel, Quixadá e Quixeramobim. Em 2020 oferecemos ainda, dois cursos presenciais sobre Meio Ambiente, nos municípios de Mauriti e Sobral e na área de Fruticultura, capacitamos jovens, em parceria com a Empresa Agrícola Famosa, em Icapuí.

No período da pandemia defendemos junto ao Governo e Câmara federal condições especiais na renegociação das dívidas rurais; a extensão do auxílio emergencial para os trabalhadores rurais em regime de cooperação ; e fizemos propostas ao ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para que as mini e pequenas agroindústrias fossem beneficiadas pela lei 13.340/2016, que autorizavam as operações financiadas com recursos mixados pelo FNE.

Durante a visita da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ao Ceará, entregamos em conjunto com a Fiec, uma série de reivindicações, entre elas, o fortalecimento da pesca marítima, a definição do custo da água da transposição do Rio São Francisco, apoio ao projeto Doutores do Sertão e a ampliação do Programa ATeG no Ceará. Recentemente, apresentamos outras demandas, definição do programa de apoio às culturas da carnaúba e do caju, uma solução definitiva do endividamento rural, implantação de uma política de segurança no campo, e a elevação para R$ 50 mil do valor mínimo das operações realizadas pelo Pronaf contratadas com aval.
Esses são alguns dos resultados do nosso Sistema durante o ano de 2020. Um novo ano nos espera, com muita saúde e disposição para continuarmos trabalhando em prol do desenvolvimento da nossa agropecuária.

FLÁVIO SABOYA
PRESIDENTE DA FAEC E DO CONSELHO ADM.
DO SENAR – AR/CE